sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O PROTESTANTISMO CONDENADO PELA BÍBLIA

No protestantismo devemos distinguir duas classes de erros: uns que são fundamentais e outros que são derivações ou consequências dos primeiros. Os erros fundamentais são os que constituem a razão ou a mesma natureza do protestantismo. Postos estes erros fundamentais, os erros consequentes que deles se derivam são infinitos, e daí se originam as inumeráveis seitas protestantes.

*

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO PROTESTANTISMO

1º Que na Bíblia está encerrado tudo o que Deus revelou e, portanto, tudo o que se deve crer.

2º Que não se deve crer nada do que não está na Bíblia.

3º Que a Bíblia é livro claro, e que cada qual deve interpretar por si mesmo.

4º Que a fé se deve propagar, não já pelo ensinamento ou magistério da Igreja, mas pela distribuição de Bíblias.

Nestes quatro princípios se apoiam todos os erros protestantes. Não creio, dizem eles, senão o que está na Bíblia.

E nós, Católicos, retrucamos aos protestantes: - Estão porventura na Bíblia esses quatro princípios fundamentais, que constituem o vosso Credo?... Não somente não está na Bíblia, que antes a própria Bíblia os condena claramente, como havemos de ver.

PRIMEIRO ERRO FUNDAMENTAL DOS PROTESTANTES

A – Diz talvez a Bíblia que nela estão encerrados todos os ensinamentos de Jesus?

- Diz precisamente o contrario, a saber, que não estão na Bíblia todos os ensinamentos de Jesus, pois parte deles estão na pregação apostólica, isto é, na Tradição. Eis aqui as palavras textuais da Bíblia:

<Muitos outros prodígios fez ainda Jesus na presença de seus discípulos, que não estão escritos neste livro >. (São João, 20;30). - 

< Muitas outras coisas há ainda que fez Jesus; as quais, se se escrevessem uma por um, creio que nem no mundo todo poderiam caber os livros que se teriam de escrever > (São João, 21;25).

Essas coisas não escritas foram pregadas pelos apóstolos, conforme esta ordem formada do Senhor: - < Ide, pois e pregai a todos os povos... Ensinando. E eis aqui que eu estou convosco todos os dias até o fim do mundo. > (Matheus. 28; 19, 20).

Por estes motivos é que os Apóstolos recomendavam tanto aos fieis que guardassem igualmente as coisas escritas e as doutrinas pregadas, porque ambas eram reveladas por Jesus Cristo Deus. -< Sede, pois constantes, irmãos meus, e conservar as tradições que aprendestes, quer por meio da nossa pregação, quer por epistola nossa>. (2.ª aos Tessal. 2; 15.)

E mandavam que essas coisas pregadas  se conservassem cuidadosamente e se transmitissem integral e fielmente, como de mão em mão, formando assim a divina Tradição. < O que de mim ouviste diante de muitas testemunhas, confia-o a homens fieis que sejam capazes de o ensinar também a outros >. (2.ª a /timoth. 2; 2).

Assim se cumprem na Igreja as palavras do profeta que anunciava a propaganda da fé, não pela leitura da Bíblia, mas pela pregação oral: - < Minhas palavras, que pus em tua boca, não se apartarão de tua boca, nem da boca dos teus filhos, diz o Senhor: desde agora e para sempre >. (Is. 59; 21)


SEGUNDO ERRO FUNDAMENTAL

B. - Diz talvez a Bíblia que não se deve crer nada do que não está nela?

-Não diz tal, muito pelo contrário. O que diz claramente é que se devem crer as doutrinas pregadas, ainda que não escritas, pelos apóstolos: - "Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura. Aquele que crer e for  batizado se salvará; aquele porém que não crer se condenará."

                       Já vimos nos textos anteriores que os apóstolos pregavam muitas das coisas ensinadas por Jesus, que não estavam escritas em livro algum. Logo, segundo a Bíblia, devemos crer em muitas coisas que não estão na Bíblia.

                          Além disso, antes que se escrevesse o evangelho, como podiam crer os primeiros fiéis, se não se pode crer nada do que não está na Bíblia? A Igreja já se propagou por muitíssimos países e contou inumeráveis santos, antes que se escrevesse o primeiro evangelho, de São Mateus.

Assim como os primeiros fiéis creram tudo o que pregaram os apóstolos sem a Bíblia, assim também nós devemos crer tudo o que eles pregaram, esteja ou não esteja escrito na Bíblia. E ainda que São Paulo não tivesse escrito nenhuma epístola, e os apóstolos não tivesses escrito evangelho algum, a nossa fé seria a mesma, porque a nossa fé se funda na palavra de Deus, que chega até nós por meio dos apóstolos e dos seus sucessores: "A fé provém do ouvir, e o ouvir depende da pregação da palavra de Cristo." (Rom. 10;17)

"O que a vós ouve, a mim ouve; o que a vós despreza, a mim despreza. 
E quem me despreza, despreza Aquele que me enviou." (Luc.10;16).

Nenhum comentário:

Postar um comentário