segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Sermão do 14º Domingo de Pentecostes

 

“Fiel não é quem somente crê que Deus é todo poderoso, mas aquele que crê que tudo pode com Deus” - São João Clímaco.

O Evangelho nos fala da confiança em Deus. A confiança profunda em Deus é uma das coisas mais difíceis de encontrar nas almas, mesmo nas boas, mas é uma das mais necessárias. De sua falta provém a preocupação, a angústia, a inquietude, a tristeza e a consequente impossibilidade de avançar na virtude. Pode-se dizer que a confiança é a chave da santidade.

Eis que vos digo: não vos preocupeis por vossa vida, pelo que comereis, nem por vosso corpo, pelo que vestireis. Mas, por acaso não necessitamos de tudo isso? Sim, e se nos manda trabalhar, nos esforçamos, mas evitando a preocupação, disse São Jerônimo. Devemos estar ocupados, mas não preocupados, isto é, ocupados antes do tempo com temores e angústias. Sobre o necessários equilíbrio entre confiança e esforço ou ação, há uma máxima de Santo Inácio, que diz: “trabalha como se tudo dependesse de ti, mas sabendo que tudo depende de Deus”.

Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam, nem recolhem nos celeiros e vosso Pai celeste as alimenta. Não valeis vós muito mais que elas? Com nossos cuidados, esforços ou diligências está a divina providência. Devemos crer nisso.


E por que vos inquietais com as vestes? Considerai como crescem os lírios do campo; não trabalham nem fiam. Entretanto, eu vos digo que o próprio Salomão no auge de sua glória não se vestiu como um deles. Se Deus veste assim a erva dos campos, que hoje cresce e amanhã será lançada ao fogo, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Se Deus cuida de tal modo das flores, cuja vida é tão breve, abandonará acaso os homens que criou, não para um tempo limitado, mas para que vivam eternamente? Porque a alma é imortal. Não devemos pensar que seremos abandonados por um Deus que “nos amou até o extremos” e se entregou à morte por nós.

Disse “homens de pouca fé”, porque é muito pequena e limitada aquela fé que não está segura ainda sobre pequeníssimas coisas, como a comida e a veste. E nós nos acostumamos a cair no mesmo erro...



Cristo não quer a preocupação e anima a confiança que provém de crer verdadeiramente que Deus é Deus: que é Bom, Onipotente e Providente. Somos “homens de pouca fé”, pois ainda que não neguemos os dogmas da fé católica, desconfiamos da bondade e da onipotência divinas.


Não vos aflijais, nem digais: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos? São os pagãos que se preocupam com tudo isso. Ora, vosso Pai celeste sabe que necessitais de tudo isso. Comenta São João Crisóstomo que não disse “sabe Deus”, mas “sabe vosso Pai”, para inspirar-nos mais confiança. Se é pai não poderá desprezar seus filhos.

Nosso Senhor nos dá o remédio contra a preocupação: basearmo-nos na confiança que surge da fé, da esperança e da caridade, e que aumenta em nós essas virtudes. Por isso disse “buscai primeiro o reino de Deus e sua justiça”. Devemos primeiro buscar “o reino de Deus e sua justiça” como nosso verdadeiro bem e fim; e “o demais”, como necessário para esta vida, vida que, por sua vez, é um meio de alcançar a outra (Santo Agostinho). “O reino de Deus” é o prêmio das boas obras (o Céu), e “sua justiça” o caminho de piedade pelo qual se vai ao reino (a vida devota, a santidade).

Não devemos nos preocupar com “o acréscimo” se buscamos primeiramente o Reino de Deus e sua justiça, porque “o demais nos será dado em acréscimo”, isto é, o receberemos se não colocarmos impedimentos, disse Santo Agostinho. E como colocamos impedimentos? Se buscamos “o acréscimo” como tendo igual ou maior importância que “o reino de Deus e sua justiça”, ou incorrendo em preocupação. Bem, como estas coisas nos são dada por complemento ou acréscimo, o Médico Divino – disse Santo Agostinho – ao qual todos nós nos confiamos, sabe quando deve nos conceder a abundância, e quando a escassez, segundo o que nos convém em relação à riqueza ou a pobreza, à saúde ou à enfermidade, à alegria ou à tristeza, o fervor ou à aridez, etc. E se alguma vez sofremos carências em relação às coisas necessárias para a vida, creiamos que isso permite o Senhor para nossa prova, para que consigamos o reino procurado.




Santa Teresa do Menino Jesus nos ensina a cofiança em Deus. Ela, que foi “a maior santa dos tempos modernos”, segundo as palavras de São Pio X. Grande por ter-se feito muito pequena nas mãos de Deus, como uma criança nos braços de sua mãe, por meio de uma confiança cheia de humildade, de fé, de esperança e de caridade. “Meu caminhozinho é o caminho de uma infância espiritual, o caminho da confiança absoluta, dizia.

Frequentemente os fiéis se queixam de que lhes parece que lhes falta amor a Deus. Em uma carta escrita a sua irmã, Santa Teresinha dizia: “a confiança, e nada mais que a confiança, é o que deve nos conduzir ao amor” (ao amor perfeito, à caridade ardente). Nessas poucas palavras resume sua mensagem, nos revela a chave de sua grande santidade e o motor de sua existência. Se a fé abre a alma a Deus como o arado abre a terra, a confiança a abre inteiramente e faz possível o futuro. É pela confiança que Deus fica livre para fazer sua vontade na alma. Essa vontade se cumpre pela medida da confiança que Deus encontra na alma. Antes que Deus dê a confiança aos que a pedem, Ele estará presente na alma, ainda que limitado, como preso e “pequeno”. Mas “pequenos” devemos ser nós, não Ele. Se somos pequenos – pela confiança – Ele será grande em nossas almas. Essa é a maior mensagem da maior santa de nosso tempo.


“Fiel não é quem somente crê que Deus é todo poderoso, mas aquele que crê que tudo pode com Deus” disse São João Clímaco. A falta de confiança em Deus é uma certa infidelidade. Um exemplo: os fiéis que sabem que os pecados veniais se perdoam de vários modos, além da absolução sacramental, mas na prática não estão dispostos a prescindir das “seguranças” da confissão. Não comungam porque tem pecados veniais, ainda que tenham aprendido no catecismo que a comunhão sacramental os perdoa. Além da confiança, também pode haver algo de orgulho nisso, se no fundo pensam que a comunhão é um prêmio para os perfeitos, quando na realidade é um remédio para os pecadores.

Outro exemplo de falta de confiança em Deus: “ceder à tentação de utilizar meios impuros para vencer em uma guerra justa” (P. Calmel). Isso é exatamente o que se passou e se passa com a FSSPX. Se quis fazer uso de meios menos retos ou francamente retorcidos para conseguir a “normalização” ou “regularização” da congregação e a conversão de Roma: violação da decisão do capítulo de 2006, segredo indevido, expulsões injustas, diplomacia mundana, concessões inaceitáveis em alguns pontos de doutrina, uso constante de uma linguagem confusa, pusilânime, dúbia, ambígua, etc..


O Coração Imaculado de nossa Mãe está cheio de confiança. A Ela, que tudo consegue de Deus, recorramos pedindo a santa confiança mediante o Rosário diário.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

22 de Agosto - Festa do Imaculado Coração de Maria


Ato de Consagração ao Imaculado Coração de Maria
Pelo Papa Pio XII

Oh! Rainha do Santíssimo Rosário, auxilio dos cristãos, refugio do gênero humano, vencedora de todas as batalhas de Deus!
Ante vosso Trono nos prostramos suplicantes, seguros de impetrar misericórdia e de alcançar graça e oportuno auxilio e defesa nas presentes calamidades, não por nossos méritos, mas sim unicamente pela imensa bondade de vosso maternal Coração.
Nesta hora trágica da história humana, a Vós, a vosso Imaculado Coração, nos entregamos e nos consagramos, não apenas em união com a Santa Igreja, corpo místico de vosso Filho Jesus, que sofre e sangra em tantas partes e de tantos modos atribulada, mas sim também com todo o mundo dilacerado por atrozes discórdias, abrasado em um incêndio de ódio, vítima de suas próprias iniquidades.
Que vos comovam tantas ruínas materiais e morais, tantas dores, tantas angustias de pais e mães, de esposos, de irmãos, de crianças inocentes;
Tantas vidas cortadas em flor, tantos corpos despedaçados na horrenda carnificina, tantas almas torturadas e agonizantes, tantas em perigo de perderem-se eternamente.
Vós, Oh! Mãe de misericórdia, consegui-nos de Deus a paz; e, ante tudo, as graças que podem converter-se em um momento os humanos corações, as graças que reparam, conciliam e asseguram a paz.
Rainha da paz, rogai por nós e dai ao mundo em guerra a paz por quem suspiram os povos, a paz na verdade, na justiça, na caridade de Cristo.
Dai a paz das armas e a paz das almas, para que na tranqüilidade da ordem se dilate o reino de Deus.
Concedei vossa proteção aos infiéis e a quantos jazem ainda nas sombras da morte; concedeis a paz e fazei que brilhe para eles o sol da verdade e possam repetir com nós ante o único Salvador do mundo: glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade.
Dai a paz aos povos separados pelo erro ou a discórdia, especialmente a aqueles que vos professam singular devoção e nos quais não havia casa onde não se achasse honrada vossa venerada imagem (hoje quiçá oculta e retirada para melhores tempos), e fazei que retornem ao único redil de Cristo sob o único verdadeiro Pastor.
Obtende paz e liberdade completa para a Igreja Santa de Deus; contei o dilúvio inundante do neopaganismo, fomentai nos fiéis o amor à pureza, a prática da vida cristã e do zelo apostólico, a fim de que aumente em méritos e em número o povo dos que servem a Deus.
Finalmente, assim como foram consagrados ao Coração de vosso Filho Jesus a Igreja e todo o gênero humano, para que, postas nele todas as esperanças, fosse para eles sinal e prenda de vitória e de salvação;
De igual maneira, Oh! Mãe nossa e Rainha do Mundo, também nos consagramos para sempre a Vós, a vosso Imaculado Coração, para que vosso amor e patrocínio acelerem o triunfo do Reino de Deus, e todas as gentes, pacificadas entre si e com Deus, Vos proclamem bem-aventurada e entoem convosco, de um extremo a outro da terra, o eterno Magnificat de glória , de amor, de reconhecimento ao Coração de Jesus, no qual apenas se podem achar a Verdade, a Vida e a Paz.


Nossa capela pertence a vosso Imaculado Coração, Ó Maria Santíssima!

*

Três Ave-Marias para que o Papa consagre a Rússia ao Coração Imaculado de Maria

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Um agradecimento

Hoje, dia 21 de Agosto, gostaríamos de homenagear uma pessoa muito importante para o nosso apostolado, a Madre Jeanne d'Arc. Ela que desde o princípio de nosso apostolado esteve ao nosso lado nos apoiando e nos encorajando em defesa de Nosso Senhor e de Nossa Senhor completa hoje mais um ano de vida.

E neste ano, fomos nós quem ganhamos o presente! Em sua visita missionária a nossa humilde capela, local onde nos recolhemos para amar a Jesus e a Maria, a Madre e a Irmã Maria Madalena nos presentaram com um belíssimo Sacrário em madeira, feito pelo artesão sr. Gabriel Chaizé, que montou o seminário de La Reja e diversas Igrejas da Fraternidade. 

Fotos da visita: 















O sacrário é a nossa casa! Obrigado Madre e a Irmã Maria Madalena por este grande presente. Que Deus conceda a senhora muitos anos de vida nesta terra, com saúde e graça de Deus, e uma eternidade cheia amor para com a Santíssima Trindade e a Virgem Santíssima!

Que os seus padroeiros, São Luis Maria, Santa Teresinha e Santa Joana d'Arc, lhe abençoem, juntamente com o Imaculado Coração de Maria, nossa vida e nossa luz.

Postaremos aqui abaixo algumas fotos do encaixe do Sacrário no altar (faltam algumas correções):












































terça-feira, 20 de agosto de 2013

Quarenta horas pela França

Prezados amigos, convidamos a todos a estarem conosco aos pés de Nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Deus, Rei Soberano do Céu e da Terra, nos dias 06, 07 e 08 de Setembro, na preciosa e indulgenciada oração das Quarenta Horas, em memória do tempo em que Nosso Amado Redentor passou sepultado, primeiramente para crer por aqueles que não creem, adorar por aqueles que não adoram e amar por aqueles que não amam.

E juntamente em espírito de reparação suplicar a Ele a graça de ver a nação de Monsenhor Lefebvre - A França - se levantar contra as más orientações dadas pelos atuais superiores da Fraternidade, para maior glória de Deus e de sua Mãe Santíssima, pela glorificação da Igreja, salvação das almas e salvação desta barca que tem como padroeiro o Martelo dos Modernistas.

“Eu vos conferirei esta graça (a do episcopado), confiando que sem tardar a Sé de Pedro estará ocupada por um sucessor de Pedro perfeitamente católico entre as mãos do qual, vocês poderão depositar a graça de vosso episcopado para que ele o confirme.”

Monsenhor Lefebvre, Carta aos quatro futuros bispos, 28 agosto de 1987.


Jesus, ouvi-nos.
Jesus, atendei-nos.
Oremos: Senhor Jesus Cristo que dissestes: Pedi e recebereis; buscais e achareis; batei e abrir-se-vos-á,nos vos suplicamos que concedas a nós, que vo-lo pedimos, os sentimentos afetivos de vosso divino amor, a fim de que nós de todo coração e que esse amor transceda por nossas ações, sem que deixemos de vos amar. Permiti que tenhamos sempre, Senhor , um igual temor e amor pelo vosso santo nome; pois não deixais de governar aqueles que estabeleceis na firmeza do vosso amor.Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos.
Amem.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A Confraria do Rosário





"Obtive de meu Filho que todos os membros da Irmandade do Rosário tenham por irmãos, durante a vida e na hora da morte, os santos do céu." Nossa Senhora ao Beato Alain de la Roche

A Confraria do Rosário pretende responder – de acordo com a sua condição – aos pedidos da Santíssima Virgem em Fátima. Rezando afim de que o Papa consagre a Rússia ao Coração Imaculado de Maria pedindo aos bispos de todo o mundo que se unam a ele, ela não esquece o que Nossa Senhora quis nos transmitir através de irmã Lúcia, a saber, que “Deus dava os dois últimos remédios ao mundo: o santo Rosário e a devoção ao Imaculado Coração de Maria, e sendo estes os dois últimos remédios, isso significa que não haverá outros para ele¹.

Na crise sem precedentes que atravessam hoje a Igreja e o mundo, a bóia de salvação dada pelo Céu para perseverar na verdadeira fé católica e na vida cristã, é pois a devoção dos cinco primeiros sábados do mês e a meditação quotidiana do terço:

  • O primeiro sábado de cada mês: trata-se, em reparação das blasfêmias contra o Imaculado Coração de Maria, de:
     -   Confessar-se (podendo a confissão ser feita dentro de oito dias e mesmo para além deles),
     -  Comungar (Na Santa Missa Tridentina) (por uma razão legítima por um padre, esta comunhão pode ter lugar no domingo a seguir),
      -  Meditar um terço,
     -  Meditar durante um quarto de hora sobre um ou sobre vários mistérios do Rosário (este exercício é distinto da meditação do terço).

Quanto a meditação do terço, queremos dar-vos agora alguns conselhos a fim de que produza o maior número de frutos possível:

-          1. O terço é mais uma meditação do que recitação da Ave-Maria:

O Rosário põe diante dos olhos 15 quadros evangélicos (os mistérios gozosos, dolorosos e gloriosos). Eles não somente resumem toda a vida cristã mas também encontramos neles a solução para todas as nossas dificuldades, por Nosso Senhor, Nossa Senhora e São José mostram-nos neles como devemos reagir em todas as circunstancias da nossa existência terrestre.

Meditar estes mistérios consiste em revivê-los com o Coração de Maria, em pedir a Nossa Senhora que nos faça penetrar a sua significação profunda, a fim de que possamos reproduzi-los na nossa própria vida.

2. O terço é uma oração de súplica

Digamos com todo o nosso coração estas Ave Marias a fim de mover à compaixão Aquela que a Igreja chama de onipotência suplicante. O terço é a oração mais eficaz depois da Santa Missa e do breviário dos padres e dos religiosos. É mais poderosa do que qualquer outra oração que possamos inventar. Quem poderia saudar a Rainha do Céu com palavras mais belas do que as empregadas pelo arcanjo Gabriel? O que é que pode com certeza tocar o Coração de Maria senão a oração que Ela própria nos deu através do Seu servidor São Domingos?

Mas não recitemos nunca as dezenas sem pedir qualquer coisa de preciso a Nossa Senhora. Sem a graça de Deus, não chegaremos nunca a seguir Nosso Senhor e Nossa Senhora no caminho do Céu, não chegaremos nunca a reunir-nos com Eles. É esta a graça de Deus que nos é preciso implorar em cada dezena a fim de obter a virtude relacionada ao mistério que meditamos. Peçamo-la para nós próprios, peçamo-la, para o nosso próximo, não esquecendo nunca que o essencial é obter a nossa santificação: “Procurai primeiro o Reino de Deus e o resto vos será dado por acréscimo” (Mt 6,33)

3. Não recitemos os nossos terços demasiado depressa:

“É um dor de alma ver como a maior parte das pessoas rezam o seu terço ou o seu rosário, diz São Luis-Maria Grignon de Montfort. Rezam-no com uma precipitação espantosa e comem até uma parte das palavras. Não se desejaria fazer um cumprimento desta ridícula maneira aos mais insignificantes dos homens, e acredita-se que Jesus e Maria serão com ele honrados! Depois disso, pode ficar-se espantado se as mais santas orações da religião cristã permanecem quase sem nenhum fruto, e se, após mil e dez mil Rosários recitados, não se é mais santo por eles? Parai, querido confrade do Rosário, com a vossa precipitação natural ao recitar o vosso Rosário. […] Uma dezena dita pausadamente ser-vos-á mais meritória do que milhares de Rosários recitados à pressa, sem refletir, nem parar” (O Segredo do Santíssimo Rosário).

4. Como tomar atenção ao mesmo tempo aos mistérios e às Ave Marias?

Sendo o Rosário essencialmente uma meditação ou contemplação, não é necessário, durante esta oração, refletir nas palavras dos Pater e Ave. Essencialmente o que é preciso é meditar ou contemplar a cena evangélica tendo bem no fundo do coração uma instante oração de pedido a fim de obter a graça de que seja Jesus Cristo aquele que nós contemplamos.

5. Uma dificuldade: as distrações.

Quando começamos bem o nosso Rosário, e em seguida o nosso espírito nos escapa contra nossa vontade, a nossa oração não perde dele todos os seus frutos. No entanto, eles teriam sido maiores se nós nos tivéssemos aplicado melhor. Afastemos pois resolutamente as distrações voluntárias que impedem o fruto da oração. Quanto às distrações involuntárias, consequência da fragilidade da humana natureza, afastemo-las docemente, pacientemente, como outras tantas moscas importunas. Elas não tiram o fruto da oração, e, se nos assediam durante todo o tempo do terço, não nos inquietemos com isso. Ofereçamos as nossas dificuldades a Nosso Senhor e a Nossa Senhora, sirvamo-nos delas para conhecermos melhor a nossa miséria, para nos humilharmos, e fiquemos em paz.

6. Rezar o terço em comum:

“As orações feitas em comum avantajam-se muito sobre as orações feitas em privado e têm um poder muito maior” diz o papa Leão XIII. Em lugar duma pobre oração que sobe para o Céu, é a forte oração de 5, 10, 20 pessoas em que o fervor de uns compensa a maior dificuldade dos outros, e em que cada um tem o benefício da oração de todos. Rezai pois o terço em família, suscitai grupos do terço ou juntai-vos aos que já existem. E pois que sois membros da Confraria do Rosário, uni os vossos terços aos dos outros membros não esquecendo nunca de rezar por eles e pelas suas intenções, assim como pelas grandes intenções da Igreja. Vós tornareis assim mais perfeita esta comunhão dos santos que vos une uns aos outros nos quatro cantos do mundo, e formareis um pequeno exército ao serviço do Imaculado Coração de Maria para avançar no dia do seu triunfo.

Os padres dominicanos.

*

I - DEVER OU REGRA DOS CONFRADES

Não existe para os confrades um dever que os obrigue sob pena de pecado. No entanto não podem gozar de todas as vantagens da confraria se não recitarem todo o Rosário em cada semana. Tal é o seu único dever. Aqueles que acidentalmente o descuidarem não deixam de pertencer à confraria, mas privam-se de preciosas vantagens. 

O Confrade pode ser membro duma outra confraria (Irmandade do Santíssimo, Sagrado Coração, etc.) ou mesmo das outras associações do Rosário: Rosário Perpétuo, Rosário Vivo, Cruzada do Rosário.

O terço quotidiano e mesmo o Rosário quotidiano é o ideal para o qual se recomenda render progressivamente.

II - VANTAGENS DA CONFRARIA

1º - Proteção especial da Santíssima Virgem: são inumeráveis os testemunhos da história que nos provam as graças e os favores de toda a espécie, mesmo os milagres que os confrades obtiveram da Rainha do Santíssimo Rosário (ex. a vitória de Lepanto, em 7 de Outubro de 1571).

2º - Participação nos bens espirituais acumulados no tesauro comum por todos os confrades reunidos. Igualmente participação nos méritos da grande família dominicana acumulados desde oito séculos.

3º - Numerosas indulgências. Mais de trinta papas enriqueceram a confraria com indulgências. Exemplos de indulgências plenárias:

- No dia da admissão na confraria (mediante confissão e comunhão).
- Em 7 de Outubro (confissão, comunhão e oração pelo triunfo da Igreja - sempre é claro em uma Missa Tridentina rezada por um sacerdote que não tenha aderido o modernismo, é claro - consulte-nos a respeito: capela@nossasenhoradasalegrias.com.br). 

Exemplos de indulgências parciais: por recitação do terço; todos os dias pelo fato de trazer constantemente consigo um terço "rosariado"; pela visita a um confrade doente.

Um esclarecimento a respeito dos terços bentos: qualquer padre pode benzer o seu terço utilizando a fórmula própria dos Frades Pregadores, que se encontra no ritual romano (Benedictio coronarum sacratissimi Rosarii B.M.V)., Appendix nº35). 

III - GRAUS DA CONFRARIA

1º GRAU

MEDITAÇÃO DIÁRIA DOS QUINZE MISTÉRIOS DO SANTÍSSIMO ROSÁRIO

2º GRAU

MEDITAÇÃO DIÁRIA DO SANTO TERÇO

3º GRAU

MEDITAÇÃO SEMANAL DO SANTO ROSÁRIO

__________________________________________________________________

Seja um confrade do Santo Rosário!
Frades Dominicanos de Avrillé
Convento de la Haye-aux-Bonshommes
F. - 49240 Avrillé

Envie-nos os seus dados:

Nome completo:
Data de Nascimento:
Data de Batismo:
Endereço:

Correspondente

Contato: confrariadorosario@hotmail.com

Sermão da Solenidade da Assunção - 18/08/2013




Rev. Padre René Trincado

Dado que celebramos hoje a solenidade da Assunção da Santíssima Virgem Maria, diremos algo acerca do Santo Rosário.

Relata-se no livro do Êxodo (17, 8-13) a primeira batalha que os hebreus tiveram depois da saída do Egito: Ora Amalec veio e pelejava contra Israel em Rafidim. E Moisés disse a Josué: Escolhe homens e vai combater contra Amalec; amanhã estarei no cimo da colina, tendo na minha mão a vara de Deus. Fez Josué como Moisés tinha dito, e combateu contra Amalec; e Moisés e Arão e Hur subiram ao cimo da colina. E, quando Moisés tinha as mãos levantadas, Israel vencia, mas, se as abaixava um pouco, Amalec levava vantagem. Ora os braços de Moisés estavam fatigados; tomando portanto uma pedra, puseram-na por debaixo dele, na qual se sentou; e Arão e Hur sustentavam-lhe os braços de ambas as partes. E aconteceu que os seus braços não se fatigaram até ao pôr do sol. E Josué pôs em fuga Amalec e a sua gente, e os passou ao fio da espada.

A mão levantada de Moisés significa a oração. O resultado da batalha não dependia tanto do valor dos soldados de Josué como da oração de Moisés, que deveria manter os braços em forma de cruz sobre essa colina, como Cristo naquela outra, do Calvário. Se queremos combater o bom combate pela fé, que é a ação na qual estamos empenhados, os que formam parte da Resistência, devemos rezar muito. Devemos manter ao alto as mãos de Moisés por meio de nossos Rosários.

A intenção atual das autoridades da FSSPX é alcançar a paz com os amalecitas, com os inimigos que devem ser combatidos. Tornou-se tíbio o santo amor à verdade e tornou-se tíbio o santo ódio ao erro. Por isso, renunciou-se ao princípio de que não pode haver acordo prático sem a prévia conversão de Roma, substituindo-o por seis condições para submeter a Fraternidade ao poder dos liberais destruidores da fé. Como se chegou a esse desastre? A atual crise da Tradição se debe, talvez, à falta de oração e de seu necessário complemento, a mortificação. Rezemos nós, então, muitos Rosários. Mas para não sermos tal qual  fariseus que combatem pela fé esquecendo-se da caridade, tenhamos sempre presente aquela outra guerra que é o primeiro dever de cada um de nós: a batalha que cada qual luta contra si mesmo por sua almam. Se queremos ganhar a guerra por nossas almas, devemos rezar muito. O que reza se salva, o que não reza se condena, dizia Santo Afonso. E agregamos: o que reza muito se santifica e salva muitos. Rezemos muitos Rosários.

Diz a Irmã Lúcia de Fátima: Depois da oração litúrgica do Santo Sacrifício da Missa, a oração do Santo Rosário é a mais agradável que podemos oferecer a Deus e a de maior proveito para nossas almas. Se assim não fosse, Nossa Senhora não o haveria recomendado com tanta insistência (“Apelos da Mensagem de Fátima” [livro da Irmã Lúcia]). Nem sempre podemos assistir a Missa, mas podemos sempre rezar o Rosário.

São Luís Maria Grignion de Montfort afirma que a Santíssima Virgem revelou que é sinal provável de condenação ter negligência, tibieza e aversão à Ave Maria; e que os que, ao contrário, sentem devoção a esta oração possuem um grande sinal de predestinação. Sempre se observou, diz ainda, que os que levam o sinal da condenação, como os hereges, ímpios, orgulhosos e mundanos, odeiam e depreciam a Ave Maria e o Rosário. Não tenho melhor segredo para conhecer se uma pessoa é de Deus que observar se gosta de rezar o Rosário.

Em Fátima, o anjo de Portugal disse: Rezai! Rezai muito! Os corações de Jesus e de Maria tem sobre vós desígnios de misericórdia. Oferecei constantemente orações e sacrifícios ao Altíssimo! Nossa Senhora reiteradamente nessas aparições incitou a reza do Rosário, como quando disse: Rezai, rezai muito e fazei sacrifícios pelos pecadores. Muitas almas se condenam porque não há quem reze ou faça sacrifícios por elas. E na última aparição, em 13 de outubro de 1917, disse Nossa Mãe: Eu sou a Virgem do Rosário. Desejo que nesse lugar me construam um templo e que rezem todos os dias o Santo Rosário. Devemos, então, rezar muitos Rosários.

Veja bem, em português a palavra “Rosário” significa o Rosário completo, com suas 3 coroas, com seus 15 mistérios. Para designar a terceira parte ou uma corona do Rosário (5 mistérios ou dezenas), as pessoas de língua portuguesa dizem “terço”, isto é, “a terça parte”. De acordo com isso, parece que o Céu quer idealmente que rezemos o Rosário completo, como se fazia em tempos de maior fervor. Aquele que reza todo dia ao menos uma terça parte do Rosário é um verdadeiro devoto e filho de Maria, e faz muito bem, mas aquele que reza os 15 mistérios demonstra maior devoção, maior amor, reza muito e faz um bem imenso. Ânimo, pois é possível: podemos rezar o Rosário por parte ao longo do dia, indo e vindo entre a casa e o local de trabalho ou estudo, no carro (em vez de ouvir rádio), enquanto se cozinha, se costura ou se varre, rezando as contas mentalmente. É possível organizar-se de maneira que ao final do dia tenhamos rezado os 15 mistérios. Como seja, uma coisa é certa: nunca nos arrependiremos de ter rezado mais Rosários; ao contrário, disso nos alegraremos eternamente.

Disse São Luís Maria Grignion que o Rosário é composto de três coroas de cinco dezenas cada uma, com o fim: 1º de honrar as três pessoas da Santíssima Trindade; 2º de honrar a vida, a morte e a glória de Jesus Cristo; 3º de imitar a igreja triunfante, ajudar a peregrinante e aliviar a paciente; 4º de imitar as três partes do saltério, a primeira das quais relaciona-se à via purgativa; a segunda, à vida iluminativa; a terceira, à via unitiva; 5º de encher-nos de graça durante a vida, de paz na hora da morte e de glória na eternidade. E agrega o santo: Rogo-os, pois, com a maior insistência e pelo amor que os professo em Jesus e Maria, que rezeis... se tivéis tempo, os quinze mistérios todos os dias. À hora da morte bendizereis o dia e a hora em que aceitastes meu conselho. E, depois de terem semeado nas bençãos de Jesus e de Maria, colhereis as bençãos eternas.

Rezemos muitos Rosários. São Domingos exorcizou uma vez um herege possesso por 15.000 demônios. Eles, obrigados a responder as perguntas do santo, confessaram, com desgosto, o seguinte: ninguém que perseverar na reza do Rosário se condenará.

E ouçam esta promessa impressionante. Diz São Luís Maria Grignion de Montfort: creiam-me que receberão a coroa que não murchará jamais (se salvarão) se se mantiverem fiéis em rezar (o Rosário) devotamente até a morte... Ademais, a enormidade de seus pecados, ainda que estiverem à beira do abismo... se converterão cedo ou tarde e se salvarão, sempre que, repito, rezarem devotamente todos os dias até a morte o Santo Rosário com o fim de conhecer a verdade e alcançar a contrição e o perdão dos pecados.

E termino com uma assombrosa citação de Irmã Lúcia: Nestes últimos tempos em que vivemos, a Santíssima Virgem deu uma eficácia nova à oração do Santo Rosário, de tal modo que não há problema, por mais difícil que seja, temporal ou sobretudo espiritual, na vida pessoal ou familiar, ou na vida dos povos e das nações, que não se possa resolver por meio do Rosário. Com o Santo Rosário nos salvaremos, consolaremos a Nosso Senhor e obteremos a salvação de muitas almas.

Estimados fiéis: rezemos muitos Rosários. Empunhemos cada dia essa arma divina, milagrosa e toda-poderosa que é o Santo Rosário.

sábado, 17 de agosto de 2013

A verdadeira Jornada Mundial da Juventude

Um milhão de pessoas, dentre eles jovens de 25 nações, se reúnem em 1955, no Brasil, para o XXXVI Congresso Eucarístico Internacional

Santas Missas e várias outras cerimônias fizeram o extraordinário XXXVI Congresso Eucarístico Internacional, os fiéis compareciam em massa à Praça do Congresso. O número deles ultrapassava com facilidade a casa dos centenas de milhares!

Desde a chegada do Santíssimo Sacramento vindo de barco de Niterói (público estimado de 500 mil pessoas), a benção dos doentes (5 mil receberam essa benção), a chegada e procissão da imagem de Nossa Senhora Aparecida, o cortejo de Nossa Senhora de Fátima (imagem doada pelo governo de Portugal) até o encerramento do Congresso que reuniu cerca de 1 milhão de pessoas, os fiéis brasileiros e estrangeiros participaram em massa dos 7 dias do evento. Uma das maiores multidões católicas reunidas em um evento em todos os tempos (Não esqueçam a data: 1955!).

Nas fotos abaixo podemos ter uma noção da quantidade de pessoas que lotou a Praça do Congresso.

Nosso Senhor chegou triunfalmente trazido pelo barco da Marinha de Niterói, sob as luzes dos holofotes do Exército e fogos de artifício. 

Confiram abaixo algumas fotos colhidas em acervos da internet:















 <BR>XXXVI CONGRESSO EUCARISTICO INTERNACIONAL <BR>1955\t <BR> <BR>Foto 10 - Final <BR> <BR> <BR>ARQUIVO PESSOAL DE JOÃO BATISTA NOVELLO <BR> <BR> <BR>Temos aqui mais uma excelente imagem mostrando a enorme quantidade de fieis que superlotaram os eventos do XXXVI Congresso Eucarístico Internacional. <BR> <BR>A foto foi possivelmente tirada do palco/altar em direção ao publico que superlotava a Praça do Congresso. Uma pena essa imagem não poder ser vista em todos seus detalhes em tamanho real, mas o publico quase que inteiro usava pequenas sombrinhas para se proteger do sol. Podemos ver o pequeno alambrado branco que separava os fiéis do lugar destinado às autoridades eclesiásticas, civis e militares. Na parte superior temos a imensa multidão e na parte inferior temos o lugar reservado a convidados e autoridades. <BR> <BR>Ao fundo da foto na extrema direita podemos ver as copas das árvores do Passeio Publico, o relógio da Mesbla, como destaques principais. <BR> <BR>O XXXVI Congresso Eucarístico Internacional é considerado um evento que reuniu uma das maiores multidões católicas em todos os tempos. Centenas de milhares compareceram diariamente aos eventos do Congresso, fosse na Praça do mesmo ou nos eventos paralelos. O encerramento do Congresso deu-se no dia 24 de julho com um público estimado de cerca de 1 milhão de pessoas. <BR> <BR>Os Congressos Eucarísticos existem até hoje, sendo que último, o 48º Congresso Eucarístico Internacional, foi realizado em Guadalajara no México, em outubro de 2004. São realizados sempre que possível de quatro em quatro anos numa cidade designada pelo Papa. <BR> <BR> <BR> <BR>A despeito das opiniões particulares dadas aqui pelos visitantes do CARIOCA DA GEMA, sempre interessantes e complementares, e que criam, por muitas vezes, um fórum de discussões (sadias sempre), durante essa série especial sobre os 50 anos de realização do XVIII Congresso Eucarístico Internacional, quero deixar claro que a série visou apenas o interesse do evento na historia recente da cidade do Rio de Janeiro, nada mais. <BR> <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> <BR> - Fotolog











 <BR>COPACABANA <BR>1914/15 <BR> <BR> <BR>ACERVO PESSOAL DE ANTONIO CARLOS DE OLIVA MAYA <BR> <BR> <BR>Fantástica foto onde podemos ver os costumes da sociedade carioca dos anos 10 do inicio do século XX, no então, bairro que crescia: Copacabana. <BR> <BR>As mulheres usando vestidos longos e de manga comprida em sua maioria. A vestimenta era ainda sisuda. A virada do século acabou ou minimizado o uso do espartilho, as imensas saias rodadas começaram a se apertar, as mangas bufantes desapareceram, mas mostrar as pernas continuava a ser um tabu e isso pode se ver na foto. <BR> <BR>No entanto a partir de meados dos anos 10, por volta de 1914/15 surgiu uma escandalosa saia que abalou os alicerces da sociedade carioca: a saias abertas na frente com os joelhos aparecendo. <BR> <BR>Nos pós 1ª Guerra a vestimenta em estilo francês acabou por findar, tendo o estilo americano entrado na sociedade do Rio. Começava então o lento processo de nivelamento das mulheres na sociedade. Suas vestimentas, seu modo de pensar, comportamento social e trabalho. <BR> <BR>A foto é na praia de Copacabana, possivelmente próxima à Rua Barão de Ipanema, onde residia a família de Antonio Carlos. Das sete senhorinhas que aparecem na foto temos: <BR> <BR>Da esquerda para a direita: <BR>3a – Odete de Barros Martins Costa, após casada ficou Correa de Mello (tia) <BR>4a – Elza de Barros Martins Costa, faleceu solteira (tia) <BR>6a – Carmen de Barros Martins Costa, faleceu solteira (tia) <BR>7a – Nair Martins Costa, após casada Martins Costa de Oliva Maya (mãe) <BR> <BR>As outras não foram identificadas. <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> <BR> - Fotolog


 <BR>LUZES DE NATAL NO CORCOVADO <BR>1952 <BR> <BR>O hábito de enfeitar o Rio de Janeiro na época do Natal, não é atual. Não havia arvore da Lagoa com suas milhões de micro lâmpadas, nem as fachadas dos shopping centers (pois nem existiam). <BR> <BR>No entanto um acordo entre o Departamento de Turismo e Certames do antigo Distrito Federal e a Predial Corcovado S.A. enfeitou o Morro do Corcovado com 11 mil lâmpadas distribuídas em 60 grandes estrelas. <BR> <BR>Para tal empreitada um gerador especial foi instalado no Corcovado. <BR> <BR>Na inauguração milhares de pessoas correram até a orla ou viram de vários bairros as estrelas sendo acesas. <BR> <BR>As estrelas ficaram enfeitando o morro até o dia 6 de janeiro de 53 quando foram apagadas. <BR> <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> <BR> <BR> - Fotolog


 <BR>FILA DA MANTEIGA <BR>Largo da carioca <BR>Outubro de 1952 <BR> <BR> <BR>Aqui está um interessante flagrante do cotidiano do Rio de Janeiro. Peço desculpas pela má qulaidade da imagem, mas a sua impressão era terrivel. Dei uma "despiorada" no Photoshop para que ela ficasse mais publicavel. <BR> <BR>Podemos ver uma imensa fila que atravessava o Largo da Carioca chegava até a barraca do SAPS - Serviço de Alimentação da Previdência Social que vendia manteiga ao povo, que o governo havia importado. Por cointa do preço que estava abaixo do mercado longas filas de mais de 300 pessoas se formavam. Isso diariamente. Além do preço barato, o atendimento dos funcionários da barraca da SAPS era péssimo. Havia no máximo três funcionários para atender a população. Aliada a má vontade dos funcionários da SAPS, estava também a cisma deles em relação a alguns compradores que acarretava demora no atendimento, irritação e muitas vezes confusão além da já citada fila (resultado de todos esses fatores) <BR> <BR>A cisma dos funcionarios da SAPS era que muitas vezes comerciantes infiltravam compradores nas filas para que esses estocassem as lojas com a manteiga que era então vendida a preços mais altos que nas barracas da SAPS. Muitas vezes os funcionários se negavam a vender a manteiga a menores de idade que eram mandados pelos seus pais para as imensas filas. Era mais um motivo para confusão, protestos e mais irritação. <BR> <BR>O SAPS foi criado em 1940 durante o governo Vargas e deveria garantir alimentação digna e barata à emergente mão-de-obra-industrial com implantação de uma rede pública de restaurantes populares nos grandes centros. Em 1945 seis unidades da SAPS funcionavam no Rio de Janeiro; outras 42 operavam no resto do país fiscalizadas pelo governo. O interessante é que os famosos “bandeijões” de universitários derivaram dos restaurantes da SAPS. O mais famoso era o Restaurante Central dos Estudantes do Rio, ficaria nacionalmente conhecido nas manifestações políticas de 1968/69 como “Calabouço”, que havia sido criado em 1951. A SAPS ainda sobreviveu até 1967. Um decreto da ditadura militar então extinguiu o órgão e fechou vários restaurantes populares, entre eles o Calabouço. A alegação era de que haviam se transformado em espaços de discussão e efervescência política. Só no Rio, 20 mil refeições diárias deixaram de ser fornecidas a populações carentes. <BR> <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> <BR> <BR> <BR> <BR> <BR> - Fotolog




 <BR>XXXVI CONGRESSO EUCARISTICO INTERNACIONAL <BR>1955\t <BR> <BR>Foto 9 <BR> <BR> <BR>ARQUIVO PESSOAL DE JOÃO BATISTA NOVELLO <BR> <BR> <BR> Estamos chegando na reta final do especial sobre o XXXVI Congresso Eucarístico Internacional que esse ano completa 50 anos de ocorrido aqui no Rio. Temos aqui uma fantástica foto que me foi enviada pelo amigo João batista Novello, onde podemos ver um flagrante das autoridades eclesiásticas chegando à Praça do Congresso para, possivelmente, a realização de mais uma das especiais missas celebradas no evento. <BR> <BR>O interessante dessa foto, além da quantidade de padres, bispos, é o ângulo o qual foi tirada. Além do publico presente, podemos notar bandeiras que parecem ser de delegações de estrangeiros que compareceram em massa ao evento. Ao fundo podemos destacar algumas construções do Centro da Cidade. À esquerda o Edifício Mesbla (do magazin de mesmo nome, atual Lojas Americanas), o grande prédio arredondado é o Edifício Serrador, podemos ver a cúpula e parte do Palácio Monroe (demolido) e à extrema direita o Edifício Brasília. <BR> <BR>Uma pena que o fotolog não permite a visualização de fotos em grande tamanho, pois essa é ótima. <BR> <BR>No próximo post, a ultima foto da série, também enviada por João Batista Novello. <BR> <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> - Fotolog


XXXVI CONGRESSO EUCARISTICO INTERNACIONAL <BR>1955 <BR> <BR>Foto 8 <BR> <BR> <BR>FOTO ARQUIVO PESSOAL DE CARLOS ALBERTO DE FARIA <BR> <BR> <BR>Esse postal me foi enviado pelo amigo Carlos Alberto de Faria, e mostra que os eventos no Congresso Eucarístico não se limitavam à luz do dia. Muita coisa foi agendada para noite como por exemplo a chegada do Santíssimo que veio de barco da Marinha de Niterói, sob as luzes dos holofotes do Exercito e fogos de artifício. <BR> <BR>Podemos ver que mesmo à noite a multidão continuava em peso na Praça do Congresso. <BR> <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> <BR> - Fotolog




 <BR>XXXVI CONGRESSO EUCARISTICO INTERNACIONAL <BR>Fies 2 <BR>1955 <BR> <BR>Foto 7 <BR> <BR> <BR>FOTO ARQUIVO DE FAMILIA DE HELOISA (<A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/lanari" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/lanari</A>) <BR> <BR> <BR>Temos aqui um belo flagrante os fieis assistindo a uma das missas programadas para Congresso Eucarístico Internacional. <BR>Na foto aparece a avó da companheira de fotolog Heloisa (<A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/lanari" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/lanari</A>), a terceira senhora da direita para esquerda. <BR> <BR>É interessante notar as sisudas roupas usadas pelas mulheres, combinando com a mentalidade dos brasileiros ainda era retrograda e repressiva em diversos assuntos, nessa década. <BR> <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> <BR> <BR> - Fotolog


 <BR>XXXVI CONGRESSO EUCARISTICO INTERNACIONAL <BR>Fieis 1 <BR>1955 <BR> <BR>Foto 6 <BR> <BR> <BR>Varias missas e eventos foram agendados para o XXXVI Congresso Eucarístico, o publico comparecia em massa à Praça do Congresso. O número de fieis ultrapassava com facilidade a casa dos centenas de milhares. <BR> <BR>Desde a chegada do Santíssimo Sacramento vindo de barco de Niterói (publico estimado de 500 mil pessoas), a Benção dos Doentes (5 mil receberam essa benção), a chegada e procissão da imagem de Nossa Senhora Aparecida, o cortejo de Nossa Senhora de Fátima (imagem doada pelo governo de Portugal) até o encerramento do Congresso que reuniu cerca de 1 milhão de pessoas, os fiéis brasileiros e estrangeiros participaram em massa dos 7 dias do evento. Uma das maoires multidões catolicas reunidas em um evento em todos os tempos. <BR> <BR>Na foto podemos ter uma noção da quantidade de pessoas que lotou a Praça do Congresso. <BR> <BR> <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> <BR> - Fotolog


 <BR>XXXVI CONGRESSO EUCARISTICO INTERNACIONAL <BR>O altar <BR>1955 <BR> <BR>Foto 3 <BR> <BR> <BR> <BR>O altar do Congresso foi construído a partir do projeto original do arquiteto Lucio Costa. Um projeto monumental feito pelos arquitetos Alcides Rocha Miranda, Elvins Mackay Dubugras e Fernando Cabral Pinto. <BR> <BR>A construção tinha uma escadaria de 13 metros de largura que dava acesso ao altar propriamente dito. Esse altar (não a construção total) era todo de madeira e tinha 4 metros de extensão. Ao lado esquerdo do altar estava o trono de Dom Pedro I que havia sido trazido do Convento da Ajuda. Nele sentava-se o Cardeal Legado. A cruz de pau brasil de 15 metros de altura ficava no lado esquerdo. O mastro e a vela no lado direito media 38 metros e sustentava uma vela branca e amarela (cores do Vaticano) com o símbolo do vaticano na parte branca. A vela foi inspirada nas caravelas de Cabral, "que primeiro trouxeram a fé às Terras de Santa Cruz". Logo abaixo do mastro podemos ver as cadeiras dos bispos, em ambos os lados (partindo do ponto central da construção). Acomodavam 400 bispos cada. Do lado direito logo abaixo das cadeiras dos bispos, ficava o coro (não da pra ver na foto) com 600 lugares. Na parte debaixo, bem em frente à construção, num total de 12 fileiras, ficava o lugar das autoridades. <BR> <BR>Além do descrito acima, a construção contava com salas de descanso, cabines de rádio, sacristia, capela, um lugar para o prefeito e para o presidente da república entre outras dependências. <BR> <BR>A foto mostra a maquete da construção <BR> <BR> <BR>O especial de 50 anos do XXXVI Congresso Eucaristico Internacional começa aqui: <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/tumminelli/?pid=9597108" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/tumminelli/?pid=9597108</A> <BR> <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> <BR> - Fotolog





 <BR>XXXVI CONGRESSO EUCARISTICO INTERNACIONAL <BR>Obras do altar do Congresso – A Cruz <BR>1955 <BR> <BR>Foto 2 <BR> <BR> <BR>Temos aqui uma foto da obra do altar do Congresso já em adiantado estado. Entre andaimes de madeira a cruz de 15 metros de altura feita em pau brasil oferecida pelo bispado de Ilhéus. A cruz ficava ao lado esquerdo do altar olhando-o do ponto de vista do publico (ou seja de frente) <BR> <BR>O altar foi projetado em cima dois traços originais de Lucio Costa, pelos arquitetos Alcides Rocha Miranda, Elvins Mackay Dubugras e Fernando Cabral Pinto. No próximo post falo do altar. <BR> <BR> <BR>O especial de 50 anos do XXXVI Congresso Eucaristico Internacional começa aqui: <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/tumminelli/?pid=9597108" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/tumminelli/?pid=9597108</A> <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> <BR> <BR> - Fotolog


 <BR>XXXVI CONGRESSO EUCARISTICO INTERNACIONAL <BR>A Praça do Congresso <BR>1955 <BR> <BR>Foto 5 <BR> <BR>FOTO DE ÁVILA <BR> <BR> <BR>Como já falei o Morro de Santo Antonio havia sido demolido e sua terra transformada no aterro. Mas nem tudo ocorreu às mil maravilhas. As obras foram por um tempo paralisadas porque o Tribunal de Contas do Município não havia registrado o contrato firmado com a firma vencedora da licitação do desmonte do Morro. O Tribunal de Contas acabou sendo rápido e aprovou os registros. Assim essas paralisações não afetaram o cronograma do Congresso Eucarístico. <BR> <BR>Depois de concluídas as obras de aterro na Baia da Guanabara, a construção do palco/altar e terminada toda a infraestrutura, a Praça do Congresso já estava pronta para receber os inúmeros fieis de todas as partes do mundo. Na foto podemos ver as gigantescas dimensões da Praça do Congresso. O Altar pronto, as milhares de arquibancadas prontas para receber o publico que ia manifestar sua fé no local do “milagre” como dizia Tristão de Ataíde: “Esse foi o primeiro milagre do Congresso, porque o Morro foi removido e parte do mar secou” <BR> <BR>Se você tiver curiosidade em ver como ficou o local após o termino do Congresso e o desmonte do palco e arquibancadas, veja essa foto que postei há algum tempo: <A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/tumminelli/?photo_id=8432118" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/tumminelli/?photo_id=8432118</A> <BR> <BR> <BR> <BR>O especial de 50 anos do XXXVI Congresso Eucaristico Internacional começa aqui: <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/tumminelli/?pid=9597108" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/tumminelli/?pid=9597108</A> <BR> <BR> <BR> <BR> <BR> <BR>_____________________________________________________________________ <BR>NÃO DEIXE DE CONHECER MEU OUTRO LOG: "IMAGENS...", SÃO FOTOS DE MINHA AUTORIA... VISITEM E SE QUISEREM FAVORITEM... :-))) <BR> <BR><A HREF="http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli" TARGET=_top>http://ubbibr.fotolog.net/betotumminelli</A> <BR> <BR>SE VOCÊ GOSTA DE PROPAGANDAS ANTIGAS, VISITE MEU NOVO LOG, "RECLAMES": <BR><A HREF="http://www.fotolog.net/edubt" TARGET=_top>http://www.fotolog.net/edubt</A> <BR> <BR> - Fotolog




Lembranças: